Conecte-se Twitter Facebook Youtube Feed
Master Power
Volt Prado

22º Festival Força Livre de Arrancada

22º Festival Força Livre de Arrancada

Data: 10/12/2015 a 13/12/2015.

Local: Autódromo Internacional de Curitiba - AIC - Pinhais - PR - 402 Metros.

Festival: 22 anos no AIC, local onde nasceu os 402 metros no Brasil!

São 22 anos de pura história da arrancada brasileira! O Festival Força Livre de Arrancada deveria continuar com o nome que o fez tão famoso: Festival Brasileiro de Arrancada, pois é o único evento no Brasil que reúne pilotos e equipes dos quatro cantos do país em uma grande confraternização da arrancada. O Festival é aquela competição festiva onde os melhores de cada região se enfrentam e, nesta edição 2015, reuniu mais de 40 mil pessoas no Autódromo Internacional de Curitiba (AIC). O evento contou com a galeria Nitro Alley, um local onde empresas ligadas ao meio alta performance divulgam os seus produtos. 

Tradicional no Festival é a chuva, que sempre esteve presente em algum dos dias de puxada e acabou por atrapalhar os trabalhos na sexta e no sábado. Mesmo assim nestes dois dias foi possível a realização de baterias. O domingo contou com alta temperatura e muito sol, o que possibilitou completar a prova pelo formato de tempo total mais baixo das classificatórias, isto é, tempo de pista + tempo de reação. A única categoria que foi possível contar com puxadas eliminatórias, foi a Desafio 201 metros. 

A dupla Snaple e Edy trabalharam duro para deixar a pista em condições de grip satisfatórias, visto que o tratamento de pista começa do zero durante a semana. A pista recebe borracha e líquidos aderentes para que a integridade fique perfeita, mas mesmo assim, os organizadores sofrem com a quebra excessiva de motores ou falta de atenção dos pilotos nos respiros de óleo. 

Destaques

Na Standard (ST), Clovis Waechter venceu e bateu o recorde! O piloto da Serv Car e uma das grandes lendas da arrancada brasileira participou dos 22 Festivais! Na Street Tração Traseira (STT), Vilson Ferreira concretizou o grande destaque que teve na temporada 2015, ao vencer com o seu Opala. 

Na Dianteira Original (DO), o catarinense Malton Coimbra confirmou o favoritismo, bateu o recorde e venceu com o Gol 16v aspirado alimentado com metanol e nitrometano. Na Traseira Original (TO), o mineiro Álvaro Dias colocou a mão no lendário troféu do Festival com o Opala aspirado preparado pela Clebinho Racing. Na Dianteira Super (DS), o paulista Luiz Bonacorso “Xuxu” foi o grande vitorioso. Na Traseira Super (TS), o paranaense Diego Busato foi o vencedor e de quebra baixou a sua própria marca, fruto de um carro que se destacou em toda temporada.

Na Dianteira Turbo C (DTC), o gaúcho Nathan Nangoni em ótima fase! Depois da vitória e recorde no Velopark, vitória na grande festa da arrancada brasileira. Na Dianteira Turbo B (DTB), o catarinense Alexandre Vasconcellos foi o grande vencedor da categoria mais disputada do Brasil! Na Dianteira Turbo A (DTA), primeira grande vitória do paulista Alessandro “Lessam”, posição mais alta no pódium bastante perseguida pelo piloto e pela equipe Racetech.

Na Turbo Traseira (TT), a vitória ficou para André Schiavon, o Tiririca. Primeiro ano de participação na categoria e belíssimas puxadas. Temos que destacar a presença do paulista Luis Aranha com o Chevette AP 16v, carro que bateu o recorde dos motores 4 cilindros na TT. Na Turbo Street Traseira (TST), o recordista Marcos Bruel confirmou o favoritismo do Chevette AP e venceu o Festival. 

Na Pro Mod (PM), a vitória ficou para o Camaro Pro Line de Fabio Costa, piloto que também competiu com Opala na TT e estreou o seu novo Gol Turbo B. Destaque para a presença do piloto paulista Alexandre Kayayan, que trouxe a lendária SS10 blower. Na Extreme 10.5 (XTM), destaque para a estreia e vitória do Opala V8 biturbo de Jader Krolow, um verdadeiro monstro!

Na Força Livre Dianteira (FLD), vitória de José Roberto Pasqualete, carro que teve diversos problemas durante a temporada 2015 e fechou o ano com chave de ouro. Na Força Livre Traseira (FLT), Zé Louquinho confirmou o porque de ter sido um dos grandes nomes da temporada em 2015 e venceu com seu Chevette AP 20v.

O Festival é tradicional palco de estreias e volta de pilotos. A categoria Drag Bike voltou a contar com diversos participantes e contou com a vitória de Fred Favaron. Uma das motos muito esperadas era a Srad 1000 Nitro de Bruno Cunha, mas um problema de motor ainda na quinta o tirou da competição. 

Na Dragster Junior, a nova geração deu show nas três categorias, com destaque para as vitórias dos paulistas Pedro Alarcon na DJR-A, Felipe Luna na DJR-B e o estreante Nicolas Alves, filho de Eder Cardoso (drag 6 cilindros), este que venceu na DJR-C. Na Dragster Light, o ano foi de grande destaque para Gelson Silva e no Festival não foi diferente para o piloto gaúcho da MAP Green. Na Dragster Top Alcohol, vitória do baiano Avelino Queiroz com o dragster da Power Tech. 

Tivemos dois grandes sustos no Festival: o primeiro foi com o Gol Turbo B de André Scariot que teve problemas no final da reta e bateu muito forte. Graças aos produtos de segurança corretamente utilizados, o piloto nada sofreu e foi atendido rapidamente. Outro susto ficou por conta de um incêndio no Opala de Christian Julio, Los Hermanos: uma quebra de flauta de combustível inundou o carro e o fogo se alastrou rapidamente. O piloto sofreu graves queimaduras nos pés e pernas, mas não corre perigo e deverá sofrer tratamento intenso para recuperação. 

Futuro do Autódromo

O Festival foi uma grande festa, muita agitação nos boxes e a certeza de que contou mais um capítulo da história da arrancada brasileira. Com os boatos da venda do autódromo, tudo indica que não teremos mais o Festival, pelo menos no AIC e no mês de dezembro. Mas é certeza que a Força Livre Motorsports seguirá com seus trabalhos, com projetos em andamento e a espera de uma decisão realmente definitiva sobre o futuro do circuito em 2016. Fica a nossa torcida para que estes procedimentos sejam demorados e que, quem sabe, não tenhamos uma 23ª edição em dezembro de 2016. 

Vida longa a arrancada. Obrigado Autódromo de Curitiba: você mostrou ao Brasil o que é a emoção do ¼ de milha. Estaremos juntos para sempre. Obrigado Força Livre Motorsports pelo trabalho. Abaixo você confere: vencedores, recordistas e o primeiro lote de fotos. Em breve muito mais! Mais informações em www.forcalivre.com.br

Texto: Rodrigo Vieira – Autodynamics


Campeões da Etapa/Evento

Tempos

Compartilhe com seus amigos:
Share

« Voltar